O que é Private banking?

Private banking são serviços diferenciados oferecidos a clientes de maior renda (normalmente acima de R$ 1 milhão) pelos bancos. É um tipo de relacionamento com o cliente mais individualizado, oferecendo facilidades e ajuda em vários assuntos financeiros.

Por exemplo, para os empresários que têm de cuidar das taxas e impostos de sua companhia, além de seus investimentos e empréstimos feitos através do banco; para famílias que têm diversas propriedades e investimentos em empresas, e precisam da assistência para gerir seus ativos, além de ajuda em assuntos de heranças; e para os profissionais que têm de pagar impostos e fazer empréstimos para seu negócio crescer.

Entre os serviços estão a consultoria, gestão e planejamento de:

  • finanças pessoais ou familiares;
  • herança;
  • operações estruturadas;
  • investimentos;
  • planejamento de impostos e taxas;
  • aposentadoria.

Os clientes de private banking contam com gestores altamente qualificados e experientes, os chamados private bankers, para fazer suas decisões financeiras. O gestor ainda tem o apoio de sua equipe de economistas e analistas de mercado para ajudá-lo no trabalho de administrar o portfólio do cliente.

A procura por esse tipo de serviço tem aumentado com a queda das taxas de juros pois o retorno dos investimentos em renda fixa ficaram menores. As aplicações em renda variável são mais arriscadas e exigem maior conhecimento do mercado para que o rendimento delas consiga satisfazer os objetivos. Por isso a ajuda personalizada do private banking é bem-vinda a aqueles com um poder mais elevado.

A ANBIMA define um código de melhores práticas para o private banking para as instituições membro que oferecem esses serviços.

Custos

Há vários modelos diferentes de ganhos no private banking para o banco. Por exemplo, os private bankers podem ganhar nas comissões em produtos e serviços indicados para o cliente do próprio banco ou de terceiros.

Também podem ser cobradas taxas de consultoria e percentuais em operações realizadas.

Conclusão

Historicamente, o private banking sempre foi visto como um nicho que só atende clientes de altíssima renda, com mais de R$ 1 milhão em ativos, mas recentemente há uma tendência do mercado em abrir o acesso desse tipo de relacionamento a clientes de renda menor, por volta de R$ 200 mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *