SWIFT — Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Globais

SWIFT logo

Você sabe o que é SWIFT? Se algum dia você já precisou enviar ou receber dinheiro do exterior então já ouviu falar de um código SWIFT ou BIC. A Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Globais (Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication) é uma organização sem fins lucrativos que conecta bancos de todo o mundo, permitindo que seus integrantes enviem mensagens padronizadas de modo extremamente seguro entre si.

A SWIFT é uma cooperativa de mais de 10.000 instituições financeiras e clientes corporativos em mais de 200 países. Com sede na Bélgica, ela foi criada em 1973, por bancos europeus para prover um sistema mais seguro e eficiente de comunicação interbancária e transferências de fundos e títulos.

O sistema funciona como uma plataforma segura e confiável de troca de mensagens e dados financeiros entre seus participantes. As mensagens são padronizadas em códigos e correspondem a uma ordem precisa da operação sendo realizada.

Algumas das mensagens abrangem:

  • Pagamentos
  • Transferência de fundos
  • Pagamentos por parte de cliente & cheques
  • Transferências entre Instituições Financeiras

A rede SWIFT, diretamente, não opera ou oferece custódia de valores, títulos ou contratos, apenas permite a comunicação segura entre as instituições. Portanto, as duas partes precisam ter algum relacionamento para que a operação se concretize.

Privacidade

O sistema SWIFT registra milhões de transações financeiras diariamente com um rígido controle de autenticação. Entretanto, em 2006, uma polêmica emergiu quando notícias acusando o Governo americano de que podia acessar informações sobre transferências bancárias internacionais no banco de dados da SWIFT. A espionagem foi justificada como uma forma de combate do terrorismo.

O Departamento do Tesouro americano e a CIA usavam um software chamado “Terrorist Finance Tracking Program” para rastrear terroristas.

Em 2010, um acordo do Parlamento Europeu permitiu que investigadores dos EUA acessassem os dados da SWIFT. Este acordo ficou conhecido como “Acordo SWIFT”.

Novos tempos

Com a forte presença da Internet na sociedade, surgiram diversas tecnologias tentando facilitar as operações financeiras através da grande rede. As tecnologias atuais de pagamento e transferência de dinheiro permitem fazer muitas operações sem precisar de um banco intermediando todo o processo.

Porém, a rede SWIFT foi pensada para ser extremamente segura e resiliente, sendo praticamente impossível de cair perante ataques de crackers. Característica em que esses serviços estão mais vulneráveis. Além disso, a comunicação é padronizada e criptografada, ninguém da SWIFT pode ler essas mensagens.

40 anos

Em 2013 a SWIFT completou 40 anos de existência. Graças ao seu trabalho foi possível reduzir os custos bancários, diminuir o tempo de cada operação e multiplicar o número de transações financeiras do mundo todo. A organização mudou bastante desde a sua criação, adotando novas tecnologia e inovando, mas continua oferecendo os serviços essenciais aos bancos e outras instituições financeiras.

SWIFT em números

Hoje, a SWIFT processa mais de 20 milhões de mensagens diariamente, conectando mais de 10.000 empresas em 214 países e territórios.

A rede SWIFTNet opera, hoje, pelo protocolo IP, o mesmo usado pelos computadores na Internet, abandonando a obsoleta infraestrutura X.25 que utilizava linhas telefônicas.

Metade das mensagens transmitidas pela SWIFTNet são transações de pagamentos, outros 44% são movimentações de valores mobiliários. Operações de tesouraria contribuem com 5,5% e de comércio com 0,8%.

O maior tráfico de mensagens são nas regiões da Europa, Oriente Médio e África, com 66,8% do total. As Américas originam 20,6% do tráfico e a região Ásia-Pacífico contam com 12,6%.

SWIFTNet em números

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *